Transição Energética Precisa de Ser Acelerada

imagem de Freepik

A transição para energias renováveis e soluções de baixas emissões de carbono deve acelerar substancialmente para limitar o aquecimento global a 1,5°C acima dos níveis pré-industriais, revela um estudo da Boston Consulting Group. No entanto, um défice de investimento de 18 biliões de dólares até 2030 ameaça a concretização desse objetivo, apesar de já existirem tecnologias disponíveis para alcançar a neutralidade carbónica.

A transição energética para energias renováveis e soluções de baixas emissões de carbono deve ocorrer a um ritmo três vezes mais rápido do que as transições anteriores, como a saída do carvão e dos hidrocarbonetos. Esta é a principal conclusão do estudo “A Blueprint for the Energy Transition” da Boston Consulting Group (BCG). A meta é limitar o aquecimento global a 1,5°C acima dos níveis pré-industriais.

Prevê-se que o consumo global de eletricidade duplique até 2050, enquanto mais de 775 milhões de pessoas em todo o mundo ainda não têm acesso à eletricidade. Além disso, as sociedades necessitarão de mais de 20 megawatts de energia primária per capita para alcançar níveis elevados de prosperidade. Para atender a essas metas, cinco alavancas tecnológicas são identificadas: aumento da eficiência energética, eletrificação das utilizações finais, descarbonização do fornecimento de energia, uso de combustíveis com baixas emissões de carbono e implantação de tecnologias de captura de carbono.

No entanto, um desafio significativo é o défice de investimento global de 18 biliões de dólares, necessário até 2030, para financiar essa transição energética. Dos 37 biliões de dólares exigidos, apenas 19 biliões estão comprometidos até o momento. A transição exige uma redução rápida no uso de petróleo e gás, embora ainda sejam necessários investimentos seletivos para garantir a segurança energética.

A maioria dos cenários de neutralidade carbónica exige que, em 2030, o fornecimento de petróleo e gás seja equivalente a 50% – 80% do fornecimento de 2021. No entanto, os ativos atuais não conseguirão atender a essa necessidade, tornando essencial o desenvolvimento de produção de petróleo e gás mais sustentável.

Além disso, a transição terá um impacto significativo na economia dos sistemas energéticos, passando de um recurso extraído para um recurso manufaturado, com custos iniciais mais altos e custos operacionais mais baixos. Espera-se maior volatilidade nos preços e desafios no armazenamento de energia à medida que a matriz energética muda. Atualmente, a capacidade de armazenamento de eletricidade na Europa e nos Estados Unidos é limitada a uma a duas horas de consumo médio. Isso exigirá uma revisão do mercado de eletricidade e aumento nos custos de transporte, levando à relocalização de centros de produção.

A transição para a energia verde é essencial para manter um planeta habitável para as gerações futuras. Embora enfrentemos desafios e perturbações, essa transformação oferece oportunidades significativas a longo prazo, promovendo a sustentabilidade, acessibilidade e segurança energética.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

ten + 17 =