Ambiente de trabalho tóxico: Como identificar e atuar

ambiente de trabalho tóxico
Foto de Yan Krukau em Pexels

70% dos funcionários que sofrem de burnout indicam que seu esgotamento foi desencadeado por um “ambiente de trabalho tóxico”. No entanto, nem todo comportamento tóxico vem da administração – certas práticas dos funcionários, como sentir-se vitimizado ou criar competição desnecessária, podem ser a fonte do fenómeno.

O comportamento tóxico no local de trabalho foi associado ao esgotamento, angústia, depressão, ansiedade e outros gatilhos que afetam os funcionários de muitas empresas, refletindo-se na produtividade e retenção e talento. De fato, 73% dos funcionários relatam que a sua intenção de deixar o emprego foi alimentada por um ambiente de trabalho tóxico e 70% atribuem esse fenómeno ao esgotamento.

“Comportamentos tóxicos como gritar, manipular, intimidar, prejudicar os outros ou exibir um estilo de gestão abusivo acabam por criar um ambiente de trabalho carregado negativamente que desencadeia eficiência reduzida, falta de motivação, desejo de sair ou esgotamento”, diz Diana Blažaitienė, especialista em trabalho remoto e fundadora da Soprana Personnel International, uma agência de soluções de recrutamento e trabalho temporário.

“Tal comportamento pode estender-se do local de trabalho real para o virtual através de e-mails ou plataformas de trabalho digital e, eventualmente, criar um ambiente que não é propício para equipas prósperas.”

Na foto: Diana Blažaitienė, fundadora da Soprana Personnel International (Foto de Kristina Malinauskienė)

Como a equipa contribui para criar um ambiente tóxico

Embora, em muitos casos, o comportamento tóxico comece no nível das chefias, às vezes este é inflamado pela conduta de outros funcionários no local de trabalho. Diana Blažaitienė diz que frequentemente essas pessoas não reconhecem os traços de comportamento tóxico que podem estar a exibir.

“Quando sentem que seu local de trabalho se tornou tóxico e prejudica as suas tarefas diárias, muitos funcionários tendem a atribuir o problema aos seus líderes sem parar um minuto para considerar se eles podem ser parte do problema”, afirma Blažaitienė. “Cada membro de uma equipa é responsável por criar uma atmosfera que estimule a produtividade, a realização de metas, o esforço e a cooperação.”

A especialista identifica padrões de comportamento por parte do funcionário que podem levar a um local de trabalho tóxico: sentir-se vítima, mas não fazer nada a respeito, recusar-se a tomar medidas proactivas para eliminar a toxicidade do local de trabalho, observar passivamente o abuso, infundir muito significado em cada feedback ou interação, ou criando competição desnecessária com colegas.

Diana Blažaitienė recomenda que toda a equipa a reflita e debata sobre seu comportamento no local de trabalho com vista a eliminar possíveis ações tóxicas. Porém é importante que os funcionários não atribuam toda a culpa a si mesmos.

“Por mais crucial que seja iniciar as mudanças dentro de si para tornar o local de trabalho produtivo em vez de desmotivador, os funcionários também devem ser responsáveis pelo seu bem-estar mental e identificar quando o comportamento tóxico se origina nos empregadores, para que possam também manifestar-se sobre isso,” acrescentou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

sixteen + eleven =