Franquias Low-Cost, uma opção rentável para os empreendedores

Foto de Mike Petrucci no Unsplash

Durante a pandemia da COVID e particularmente na quarentena obrigatória, tornou-se comum ver novos empreendedores à procura de formas de iniciar negócios independentes que lhes dessem estabilidade económica face a possíveis acontecimentos imprevistos, tais como perdas ou suspensões inesperadas de empregos.

Neste artigo vamos falar de alguns conceitos básicos sobre franquias low-cost e explicar porque podem ser uma boa opção para empreender em tempos de instabilidade económica global.

O que é uma franquia Low-Cost?

Primeiro é importante esclarecer o que é uma franquia. É um modelo empresarial em que existem duas partes, uma das quais pode ser uma pessoa ou empresa que concede a um terceiro o direito de utilizar a sua marca, por exemplo, para comercializar o seu produto ou serviço sob certas condições pré-estabelecidas.

Aquele que fornece a franquia terá direito a certas regalias – por exemplo, mensais – pela concessão do direito de utilização da sua marca. Por seu lado, o que contrata a franquia, terá o benefício de ter um negócio independente sem necessidade de começar do zero, e com um projeto que já funciona com sucesso.

Uma franquia low-cost é o mesmo tipo de modelo de negócio, mas sem o obstáculo de um investimento elevado, uma vez que requer um investimento inicial baixo em comparação com as franquias tradicionais e é também rentável a curto prazo.

Foto de Blake Wisz no Unsplash

Vantagens de escolher uma franquia Low-Cost

Como indicámos acima, o investimento é muito inferior ao de uma franquia clássica e por menos de 30.000 euros, por exemplo, pode-se obter uma boa opção de negócio, o que representará menos risco económico do que uma franquia tradicional, que normalmente não vai abaixo dos 100.000 euros.

Tal como nas franquias tradicionais, as low-cost são também negócios comprovados com rentabilidade garantida. E se o investimento é inferior às franquias habituais, continua a ser um investimento importante, embora a probabilidade de fracasso seja muito menor em comparação com a escolha de iniciar um negócio do zero.

As taxas a pagar ao franquiador são geralmente baixas e estáveis, o que permite um crescimento exponencial dos lucros e um rápido retorno do investimento. Também os valores do investimento publicitário são geralmente baixos ou mesmo nulos, uma vez que, sendo uma cadeia de franquias, o franquiador tem a difusão implementada no seu plano de negócios.

No meio de uma crise económica global, obter financiamento dos bancos para investir está a tornar-se cada vez mais difícil. No caso de uma franquia low-cost não só o valor de entrada, por ser mais baixo, facilita a obtenção de um empréstimo, como muitos franquiadores oferecem financiamento por fazerem parte deles.

Provavelmente precisam de menos pessoal do que uma franquia clássica, uma vez que tendem a ser empresas mais pequenas e há mesmo opções para começar de casa com uma utilização mínima de recursos.

Fonte: Habitium.pt

O que deve ser tomado em conta para escolher corretamente uma franquia Low-Cost?

Embora existam muitas vantagens para os empreendedores de primeira viagem, é essencial estar atento e confiante ao escolher uma franquia.

Em primeiro lugar deve estudar em profundidade as diferentes opções a fim de encontrar uma franquia que se adapte às suas necessidades ou gostos, mas que também tenha um bom historial e um bom apoio. Atualmente, as franquias mais populares e rentáveis estão centradas no consumo em massa, gastronomia, estética e imobiliária.

É também importante analisar as condições da franquia a longo prazo, para garantir que sejam estáveis e que esteja em condições de as cumprir, ao mesmo tempo que obtem a margem de lucro desejada. Tenha em atenção que há franquias que têm um investimento inicial muito baixo, mas taxas periódicas muito elevadas, o que pode não ser conveniente para atingir o seu objetivo.

Por outro lado, é importante escolher uma franquia que tenha apoio e capacitações constantes, já que isso permite-lhe manter-se atualizado e em constante inovação.

Não esqueça a atual situação global. Como estamos num período de incerteza e existe a possibilidade de restrições, é ainda mais relevante ter em conta o tipo de franquia escolhida e onde será desenvolvida. Por exemplo, entre as vantagens de muitas franquias low-cost é que podem ser geridas a partir de casa, sem a necessidade de alugar instalações, o que significará não só menos investimento, mas também menos risco de fracasso.

Foto de Ashim D’Silva no Unsplash

Exemplos de Franquias Low-Cost em Portugal

Aqui estão alguns exemplos das mais populares franquias Low-Cost, que podem inspirá-lo a começar neste interessante empreendimento:

9.90 Nuevenoventa – É uma franquia de lojas de roupas e acessórios de baixo custo, com uma alta rentabilidade e baixo investimento, que não cobra royalties.

Disconsu – Franquia de consumíveis de impressoras, com alta rentabilidade. Oferece apoio na procura de financiamento, na montagem e design da loja, bem como em campanhas de marketing. Não cobra royalties.

Opencel – Franquia de tratamentos estéticos tais como depilação, radiofrequência e cavitação a preços muito competitivos. Oferece capacitação contínua antes e depois da instalação da loja. Requer investimento muito baixo e royalties de 500 euros por mês. Não é exigida qualquer taxa de entrada.

Meu Super – É uma conhecida cadeia de supermercados em formato de franquia com várias vantagens: sem royalties ou taxas de entrada, oferece apoio durante todo o projeto e capacitação antes e depois da abertura e back office permanente.

Restalia – Possui 3 franquias: 100 Montaditos, The Good Burger e Cervecería La Sureña. Oferece produtos inovadores e que são tendência.

Foto de Leonardo Sanches no Unsplash

Conclusão

Face a um mercado duramente atingido pela crise financeira provocada pela pandemia, as franquias Low-Cost tornaram-se uma opção de investimento acessível e segura em todo o mundo.

Nos últimos anos, representa um meio valioso para muitos empreendedores e uma boa opção em situações inesperadas como a perda de emprego ou o encerramento de empresas devido à pandemia, que obrigaram as pessoas a procurar um novo rendimento de forma independente, mas segura, sem alto risco e com sucesso garantido.

Por outro lado, a crescente incorporação de tecnologia no mercado e o desenvolvimento exponencial do marketing online gera ainda mais oportunidades de baixo custo para o empreendedorismo, criando uma gama muito mais ampla de possibilidades de escolha e adaptação a cada necessidade e a cada empreendedor.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

three × three =